1, 2, 3... quantos gatos?

Atualizado: 9 de Abr de 2019

Ideal é adotar dois gatos juntos – irmãos de ninhada, por exemplo – que já têm um laço formado.

Caso você passe horas fora de casa todos os dia e ainda não tenha gatos, doamos bebês em duplinhas! Assim um tem a companhia do outro enquanto você está fora. Um bebê sozinho vai ficar triste e deprimido e pode até desenvolver doenças ou problemas de comportamento.


Dois gatinhos é a situação mais confortável também para você. Não precisa sentir culpa ou aflição se chegar mais tarde em casa porque saberá que seu gatinho não estará ansioso te esperando, já que tem a companhia do amiguinho para brincar.

Se for adotar o segundo, ou terceiro mais tarde, leve em conta a personalidade do seu gato. A adaptação deve ser gradual, deixando-os em cômodos separados (e revezando os cômodos) até que se acostumem.


Mas atenção: alguns gatos podem nunca se dar bem, não importa o que você faça. Eles podem apenas tolerar a companhia um do outro. Da mesma forma que você simpatiza ou não com pessoas. Calma. Não é porque seu gato não aceitou o primeiro candidato que você deve desistir. Há afinidades, amor e amizade entre eles assim como entre os humanos.

EM QUE CASO É MELHOR NÃO TER MAIS DE UM GATO?

Há gatos que preferem ser filhos únicos. Eles se sentem mais felizes tendo um lugar e humanos só para eles, seja por ciúmes ou insegurança. Aqui na SOS Gatinhos, por exemplo, temos alguns gatinhos que se encaixam nesse perfil.


A melhor maneira de descobrir isso é perguntando à tutora dos gatinhos. Então leve sempre esse ponto em consideração, além da quantidade de gatos adotados, antes de tomar qualquer decisão.


#sosgatinhos #adoteumgatinho

MIA!